Ministério da Criança

Inspiração 13º sábado – Divisão Sul do Pacífico (3º Trimestre – 2019)

E chegou mais um 13º sábado para as crianças apresentarem na igreja tudo que aprenderam nesse trimestre.

Como de costume, vou apresentar para vocês as sugestões para um programa que contempla toda a escola sabatina. Se você não dispõe de todo esse tempo, adapte a sua realidade usando apenas parte do programa.

Para esse trimestre a minha sugestão é focar na lição, tendo como tema “Servir aqueles que necessitam.”

Esse assunto é o foco da lição dos adultos, jovens e crianças.

Vamos ao programa!

Direção da Escola Sabatina: Primários

Louvor (2 músicas) : Primários 

(Segue sugestão)

Boas vindas: Primários 

Oração: Primários

Curiosidades sobre a divisão: Primários

Criança 1

 

  • Lembre a todos que a oferta missionária é um presente para disseminar a Palavra de Deus ao redor do mundo; e que um quarto dessa oferta ajudará diretamente quatro projetos da Divisão do Sul do Pacífico.

  

Criança 2

 

  • Produção da Série “Daniel para as crianças’, uma animação com 13 episódios, para crianças de 8 a 12 anos seguindo as aventuras de Daniel e seus três amigos. Projeto destinado à Austrália.

 

Criança 3

 

  • Realização da campanha “Salve 10.000 dedos” para prevenir amputações nos pés através de serviços de saúde em I-iji, Vanuatu, Ilhas Salomão , Samoa, Samoa Americana, Kiribati e Tonga.

 

Criança 4

 

  • Construção de estúdios para a Tv e Rádio Hope (Esperança), em Tongatapu, Tonga.

 

Criança 5

 

  • Ouçam e assistam atentamente a encenação da história de Litea de Finji.

Carta Missionária  –  Juvenis

 Uma amiga generosa

 

Personagens:

Pai

Ilisavani

Lítea

Alguns amigos para figurar como outros estudantes da escola

Mãe

Cenário:

Mesa posta na cozinha (Lembrando que não se trata de uma família rica)

Sala de aula com cadeiras, mesa e cadeira do professor, livros, e se possível uma placa.

 (A encenação começa como se a família tomasse café da manhã em uma mesa da cozinha)

O pai tirou várias notas enquanto Litea, uma garota de 15 anos, comia seu desjejum com mingau de aveia e pão. “Aqui está”, ele disse, entregando 80 dólares fijianos aproximadamente 40 dólares). “Isso é para as mensalidades escolares do ano. Certifique-se de pagar seu professor e pedir o recibo.”

 

O novo ano escolar, em Fiji, havia começado recentemente para Litea. O ensino na escola adventista era gratuito como em todas as escolas no Fiji. Mas, os alunos precisavam fazer um pagamento especial para viagens de campo e outras despesas. Litea pegou o dinheiro. “Entregarei o recibo depois da aula”, prometeu.

 

(Ao lado monte uma escola, algumas cadeiras e uma lousa é suficiente. Se puder coloque uma plaquinha “Escola Adventista”)

 

Quando ela chegou à escola, imediatamente se encontrou com o professor para entregar o dinheiro. O professor abriu um livro e,após um momento, disse: “Não; não preciso de dinheiro. Tudo está pago.”

 

Litea ficou surpresa e se sentou. O professor voltou a ler o livro e começou a mencionar os nomes dos alunos devedores. Um desses alunos era uma amiga, Ilisavani. Litea sabia que a família de Ilisavani não tinha muito dinheiro. O pai trabalhava na Austrália, na colheita de laranjas. Mas ele não ganhava muito para enviar para casa em Fiji. A mãe se esforçava para alimentar os quatro filhos.

 

Litea resolveu conversar com Ilisavani.“Tome”, ela disse, “use esse dinheiro para pagar suas despesas.” Porém, Ilisavani protestou: “Não posso aceitar seu dinheiro.” Litea colocou o dinheiro em sua mão. Ilisavani, com lágrimas de gratidão nos olhos, aceitou as notas e entregou ao professor, que preencheu o recibo.

 

(A cena volta para a casa de Litea, mas uma vez na cozinha da casa)

(A mãe pode estar recebendo a filha, ao voltar para casa)

 

O pai, que trabalhava na sede da igreja em Fiji, não estava em casa quando Litea voltou da escola. Ele se esqueceu do dinheiro até o momento da janta familiar.

 

(O pai chega e todos sentam a mesa)

(Os personagens seguem fazendo o que a narração pede)

 

Naquele dia tomaram sopa e comeram taioba. Litea estava desconfortável. “Há um problema”, ela disse, hesitando. “Fui falar com o professor para acertar o pagamento e ele disse que minha mensalidade já estava paga.”

 

Naquele momento, o pai se lembrou de que o escritório descontava o pagamento escolar do seu salário. Ele havia se esquecido disso, mas perguntou: “O que aconteceu com o dinheiro que lhe dei?” Litea contou como entregou o dinheiro para uma amiga carente.

 

O pai e a mãe ficaram chocados. Oitenta dólares era muito dinheiro!

 

Eles exclamaram em uníssono: “O quê?!” A menina se contorceu na cadeira. Ela não queria que os pais ficassem desapontados. Então o pai e a mãe se olharam e sorriram. Eles perceberam que Litea tinha colocado em prática o verso bíblico que aprendeu na Escola Sabatina: “Ame o seu próximo como a si mesmo” (Mt 22:39, NVI). O pai se dirigiu a Litea e disse: “Estamos muito felizes com sua atitude. Muito obrigado por cuidar de sua amiga.” Litea sentiu alívio. “Muito obrigada por entender”, disse ela.

 

(A família se abraça)

(O pai e Litea saem e mãe atende o telefone)

No dia seguinte, a mãe de Ilisavani telefonou para a mãe de Litea, em prantos, enquanto dizia: “Muito agradecida pelo que sua filha fez. Você conhece a situação da nossa família.

Muito obrigada, mesmo! “Agradeça a Jesus”, respondeu a mãe de Litea.

(Mostrar foto no telão) 

Imagem3

Por sua vez, o pai, Savê Cavalevu, é grato aos professores da Escola Sabatina que ensinaram a filha a amar as pessoas. Ele espera que muitas crianças aprendam a mesma lição que as crianças da igreja adventista do sétimo dia de Narere aprenderam. Agradecemos pelas ofertas que ajudaram a construir salas para a Escola Sabatina das crianças em Fiji.

(Se tiver uma foto de toda a sala ou até mesmo de todas as crianças do ministério, ficaria demais) 

Criança 6 fala:

Nós também somos gratos pelos nossos professores da Escola Sabatina e por eles nos ensinarem a cada sábado.

Criança 7 fala:

Nesse momento vamos ofertar com o coração grato para que mais pessoas na Divisão Sul do Pacífico conheçam do amor do nosso grande Deus.

Imagem2

Algum juvenil  pode tocar uma música para oferta. Se nenhum juvnil tocar pode ser outra criança de qualquer sala. E a foto acima  pode ficar no telão enquanto isso) 

 

Recolhimento da oferta e oração das ofertas – Juvenis

Mensagem musical – Jardim (Servir – Diante do Trono)

 

Lição – Rol (A pequena serva) 

Primários –  Agora o Rol do berço partilhará da lição com vocês e precisará da ajuda de todos cantando as músicas enquanto balançam o coração que foi dado)

Se possível fazer um coração em papel e palito de churrasco e da para todos que estão assistindo, inclusive as crianças das outras salas que devem estar assistindo também. 

As músicas sugeridas aqui devem ser cantadas de forma rápida com o pianista tocando e uma solista ajudando a igreja. Se não tiver pianista cantem acapela mesmo. 

 

Personagens

Pequena serva

Esposa de Naamã

Naamã

Soldados

Eliseu

   (As outras crianças da sala se posicionem para ajudar a igreja na hora de balançar os corações e cantar as músicas. A história será toda narrada)

A PEQUENA SERVA

A pequena serva amava a Deus. Ela estava muito longe de sua casa, mas queria mostrar o amor de Deus aos outros.

A pequena serva sabia que Jesus a amava. Por isso, ela cantava feliz enquanto trabalhava para a esposa de Naamã. Ela fazia seu trabalho muito bem.

 Cantar: Gosto de ajudar! (Só a primeira estrofe – varrer a casa)     

                        

 O Capitão Naamã e sua esposa não sabiam que Deus os amava. Quando o sábado chegava, eles não iam à igreja. Eles não oravam a Deus. Então, a pequena serva dizia alguns versos que sabia de cor, cantava e orava sozinha.

 O Capitão Naamã e sua esposa viam a meninazinha dizendo seus versos e orando. Eles ouviam quando a menina falava sobre Deus. A pequena serva estava compartilhando o amor de Jesus com eles ao mostrar-se alegre e trabalhar. Ela também compartilhava o amor de Deus com eles quando falava sobre Jesus, quando dizia seus versos e orava.

 

Cantar “Porque Jesus me Ama” (ver p. 61, CD faixa 56). (Só o primeiro verso)

 

Um dia de manhãzinha, a pequena serva percebeu que a esposa de Naamã estava muito triste. O Capitão Naamã estava doente. Ele tinha manchas brancas de lepra em sua pele. Colocar um círculo branco adesivo no braço de cada criança. A pequena serva olhou para o Capitão Naamã e lembrou-se de Deus. Pensou também em Eliseu, o profeta de Deus. Então, ela disse à esposa de Naamã: “Há um profeta de Deus que mora na minha cidade. O profeta de Deus pode ajudar o Capitão Naamã. Ele pode fazer Naamã sarar. O Capitão Naamã deve ir ver o profeta Eliseu.”

 O Capitão Naamã se despediu da esposa e da pequena serva (acenar adeus com a mão), e foi com alguns dos seus soldados procurar o profeta Eliseu.

Resultado de imagem para carruagem de naama

Imagem: escolinhabiblicadagarotada.blogspot.com

 Quando Naamã e seus soldados chegaram à casa do profeta Eliseu, o servo do profeta disse a Naamã que ele deveria mergulhar sete vezes no rio Jordão.

 Sabem, o rio Jordão era barrento. O Capitão Naamã não queria mergulhar na água barrenta.Mas os soldados fizeram Naamã lembrar que isso era uma coisa muito fácil. Eles insistiram com Naamã para que mergulhasse.

 O Capitão Naamã desceu da sua carruagem. Tirou sua capa e entrou na água barrenta do rio. Vamos ajudar o capitão Naamã contanto até 7.

 

Todos: 1, 2, 3, 4, 5, 6 e 7.

 (Nesse momento tire as manchinhas da criança)

 

De repente, o Capitão olhou para seus braços e quase não podia acreditar que era verdade! Olhou para o corpo inteiro e não encontrou nenhuma mancha de lepra! Sim, Deus havia curado sua lepra.

 Naamã subiu rapidamente em sua carruagem e com seus soldados voltou à casa do profeta Eliseu. Ele queria mostrar para Eliseu que ele havia sarado.

 O Capitão Naamã mostrou ao profeta Eliseu que não havia mais nenhuma mancha de lepra em sua pele. Ele agradeceu ao profeta Eliseu, mas o profeta lhe disse:

– Não agradeça a mim, eu não curei você. Foi Deus quem curou você.

O Capitão Naamã então disse:

– Agora eu sei que o Deus de Israel é o único Deus verdadeiro!

 

Cantar “Meu Deus é Tão Grande” (ver p. 61, CD faixa 50) – (Só a primeira estrofe)

 

Quando o Capitão Naamã voltou para casa, contou à sua esposa e à pequena serva tudo o que havia acontecido. Então, o Capitão Naamã e sua esposa adoraram a Deus com a pequena serva.

Eles sabiam que Deus os amava e podiam compartilhar esse amor com outras pessoas.

 

Narrador fala ou até mesmo uma criança de outra sala pode falar: 

A pequena serva compartilhou o amor de Deus com outras pessoas porque ela amava a Deus.Vocês podem compartilhar servindo aos outros. Ajudando com alegria, sendo obedientes, cantando e orando a Jesus, e falando sobre Jesus aos amiguinhos e a outras pessoas.

 

Cantar “Sirvam uns aos Outros” (ver p. 60, CD faixa 66).

 Coro final: Todas as crianças. 

Playback
  • Sugiro que as crianças estejam todas vestidas com roupa do tempo bíblico.
  • Os maiores como os juvenis podem cuidar da parte do assovio.
  • Duas crianças podem solar e todos juntos fazem o coro na última estrofe.
  • Enquanto as crianças cantam a encenação pode e deve ir acontecendo.

 

Oração final: O pastor ou um ancião da igreja pode orar pelas crianças e suas família e também pela equipe do Ministério da Criança.

Um ótimo programa para vocês! Que Deus os cubra de bençãos!

Beijinhos,

Tati

Ministério da Criança

Inspiração 13º – Divisão Sul-Africana

Genteeeeeeeeeeeeeee, o 13º está aí! Eu tenho certeza que você já deve estar com tudo engatilhado, mas mesmo assim, atrasadíssima, resolvi deixar montadinho o programa aqui para  caso tenha alguém  ainda não tenha montado o seu ou queira complementar o que já tem.

A África é um continente que sempre aparece em nossas ofertas, então é bom investir nos objetos, roupas e cenários que lembrem o lugar e o seu povo, já que serão sempre usados.

d86ad973-7747-43b8-bc99-9bb490cec88f

O cenário abaixo é da Escola Cristã de Férias – Vida Selvagem!

1.jpg

 

Uma forma bem prática e barata de montar um cenário africano e fazer silhueta de animais.

9

E esses macaquinhos pendurados…. Ahhh que amor!!!

11

Vamos ao PROGRAMA! 

 

Direção da Escola Sabatina: Primários 

Louvor (2 músicas) : Primários 

Boas vindas: Primários

Hino inicial: Primários

Oração:Primários 

Curiosidades sobre a divisão: Juvenis

Personagens –  Chefe da Terra, Pastor Anderson, Padre, Jovem e mais alguns alunos

Narrador 1 : Neste trimestre, conhecemos pessoas de Botsuana, Moçambique,São Tomé e Príncipe, Zimbábue e Zâmbia. Hoje ouviremos mais uma história de Zâmbia, sobre um poço maravilhoso.O poço que transformou uma Comunidade

Narrador 2 : Um “centro de influência” é um lugar usado pelos membros da Igreja Adventista do Sétimo Dia para se conectarem com a comunidade local. Um centro de influência pode ser uma livraria,um restaurante vegetariano ou uma sala de leitura. Essa é a história de um dos primeiros centros de influência adventista: um poço simples construído com dinheiro doado pelas missões em 1914. Este é Simon H. Chileya II, de 83 anos, e uma das poucas pessoas vivas que testemunhou esses eventos históricos.

Pastor Simon : A história começou em 1903, quando o missionário norte-americano William Harrison Anderson chegou na Rodésia do Norte. Ele encontrou um terreno que, na sua opinião, seria perfeito para abrir uma base missionária. Estava localizado a dois quilômetros do impressionante rio Magoye.

Narrador 3 – E o  Pastor Anderson foi perguntar ao chefe do lugar: Podemos, por favor, ter esta terra para uma base missionária? Queremos abrir uma fazenda e uma escola em que as crianças possam aprender a ler, escrever e conhecer a Deus.

Narrador 4 –  Mas o Chefe respondeu: Eu gosto de você, porém sinto muito. Já demos esta terra a um padre que também deseja abrir uma base missionária.Ele foi para sua casa na Europa a fim de buscar suprimentos.

Pastor Simon: Mas havia um problema com os direitos à terra. Quando a terra é doada, a pessoa que a recebe deve aceitá-la, para se tornar proprietária. Na tradição local, o novo proprietário aceita a terra arrancando a casca de uma árvore e escrevendo no tronco. O padre não havia feito isso. Então, o chefe chamou outros líderes do outro lado do rio para discutir o que fazer. Os chefes decidiram que o padre não tinha aceitado a terra por isso a ofereceram ao pastor Anderson. O pastor Anderson reivindicou a terra de aproximadamente 2.025 hectares arrancando a casca de uma árvore e escrevendo no tronco. Depois disso, ele viajou para a base missionária de Solusi, que abrira nove anos antes, para obter suprimentos para a nova base missionária. Levou dois meses para percorrer os 1.450 quilômetros até Solusi, na Rodésia do Sul. Enquanto viajava, o padre retornou.

Narrador 4 –  Quando o padre retornou o chefe lhe disse: Desculpe, nós demos a terra para outra pessoa. O padre esperou. Quando o pastor Anderson voltou, ele e o padre tiveram uma longa conversa sobre a terra. Não tendo chegado a um acordo, foram a um líder do governo em busca de ajuda. O líder declarou que a propriedade pertencia ao pastor Anderson porque ele havia escrito na árvore.

Narrador 5 –  Mais tarde, o pastor Anderson construiu um marcador permanente para mostrar que ele havia aceitado o presente da terra. Parte do marcador ainda permanece hoje. O padre não ficou de mãos vazias. O chefe que deu a terra ao pastor Anderson sugeriu que o padre falasse com outros líderes do outro lado do rio. Aqueles chefes deram ao padre algumas terras para sua base missionária. Enquanto isso, o Pastor Anderson trabalhou para iniciar a base missionária, conhecida como Missão Rusangu. Ele planejou gastar dois anos na construção e aprender o idioma local, Tonga, antes de inaugurar a escola. Mas, no dia que o pastor Anderson chegou, um rapaz que falava um pouco de inglês veio até ele enquanto cortava varas para construir uma cabana. E disse: Professor, quero estudar na escola.

Narrador 1 –  Escola! – Respondeu o Pastor Anderson. – Nós não temos escola ainda, nem mesmo uma casa. Preciso estudar a língua, para escrever e criar os livros escolares. Em dois anos, podemos ter uma escola.

Narrador 2 – Mas o jovem insistiu: Você não é professor?  Sim, esse é meu trabalho. Respondeu o pastor Anderson.

Narrador 3 –  Então me ensine. Todo este país ouviu que você é professor e veio nos ensinar. Aqui estou eu. Vim para a escola! – Disse o jovem

Pastor Simon: Dentro de um mês, o pastor Anderson estava ensinando a 40 alunos. Entretanto, a água provou ser um problema para a base missionária, porque precisava ser transportada do rio Magoye, localizado a cerca de 1,6 km. O pastor Anderson decidiu cavar um poço profundo e estreito no chão. A Associação Geral deu mil dólares para construção do poço e outras melhorias necessárias. O poço, localizado perto do marcador permanente do pastor Anderson, atraiu os moradores locais das redondezas. Chegar para retirar água aproximou as pessoas do pastor Anderson e dos outros missionários, dando-lhes a chance de conversar com elas. Muitas pessoas foram batizadas, incluindo o homem que me contou essa história.

Narrador 4 : A terra recebida pelo Pastor Anderson está localizada na Zâmbia e agora é ocupada por uma escola primária, uma escola secundária e uma universidade com quatro mil estudantes. Em 1903, quando o Pastor Anderson chegou,não havia presença adventista ali. Mas o poço ajudou a trazer as primeiras pessoas a Cristo. Hoje, Zâmbia tem mais de um milhão de adventistas.Este é o poder do Espírito Santo trabalhando com um simples poço financiado por ofertas missionárias. Hoje, recolheremos uma oferta especial para projetos em Moçambique e São Tomé e Príncipe que,com a bênção de Deus, poderá crescer tanto quanto o poço. Muito obrigado por sua oferta liberal do décimo terceiro sábado.

 

Carta missionária: (Rol do berço) – Uma família da igreja representa a família da carta e as outras crianças do rol apresentam todos os objetos citado. 

Adunbí, de Madagascar

Cenário – um barco, areia (TNT bege no chão), e o mar (que pode ser representado por um tecido azul), rede de pescar e um coqueiro)

Este é Adunbí. Ele mora bem longe daqui, na África numa ilha que se chama Madagascar. (Entra a mãe o pai e Adunbí)

Faz muito calor lá Madagascar, por isso Adunbí está quase sempre sem camisa, descalço, usando apenas um shorts.

Em Madagascar há muitas florestas e também há praias. As casas são de madeira e cobertas com palhas.

Adunbí gosta de brincar na areia branquinha da praia. Adunbí também gosta de mergulhar nas águas clarinhas do mar. Ele enxerga peixes coloridos e também recifes de corais.

O papai de Adunbí. Ele é pescador. Ele entra no barco, vai até bem fundo lá no mar e joga a rede. Depois eles puxa a rede com os peixes. Alguns peixes o papai leva para casa, para a família comer. Outros peixes ele vende, para comprar roupas e outras comidas.

A mamãe de Adunbí. A mamãe vende muitas frutas na feira da cidade. Ela vende bananas, abacaxis, maçãs e laranjas. (Entra um criança com as frutas) Também vende mandioca e cana-de-açúcar. (Entra outra criança com mandioca e cana-de-açúcar) A mamãe enche a cesta com frutas e vai para a cidade vender na feira. As pessoas gostam de comprar as frutas fresquinhas e suculentas que ela vende.

Adunbí mora na praia, num lugar muito bonito. Mas ele não sabe que Jesus manda a chuva (criança entra com um guarda-chuva)  e o sol para as frutas crescerem. (criança entre com o sol ou vestida de sol)

19756488_1442774359124689_4631356287849159385_n

Esta é uma planta muito diferente, Esta vendo como ela tem uns dentes? Essa planta come pequenos insetos, como mosquitos e moscas. Ela espera o inseto sentar dentro dela e se fecha em seguida. È uma planta carnívora.

Image result for planta carnivora de eva

As vezes no final de semana, o papai e a mamãe levam Adunbí para passear em um lugar muito especial. È o Parque dos Lêmures. Você sabe o que é lêmure? È um animal peludo, com um grande rabo e olhos bem grandes. (Uma criança pode entrar com um Lêmure de pelúcia ou vestida de Lêmure)

Image result for fantasia de lemure infantil

Nesse parque, os lêmures estão soltos e são mansos. Por isso Adunbí pode dar comidinha na boca deles. Eles comem frutas, folhas, pequenos insetos.

Adunbí gosta muito de nadar na água do mar. Mas nem todos os lugares da ilha de Madagascar são bons de nadar. Em alguns lugares, existem tubarões e por isso é muito perigoso entrar na água.  (Uma criança entra com um tubarão de brinquedo ou fantasiada de tubarão)

Image result for fantasia de tubarão infantil

Outro animal que existe lá onde Adunbí mora é o jacaré é um animal perigoso, com muitos dentes. Ele é feroz. (Uma criança entra com um tubarão de brinquedo ou fantasiada de tubarão)

Related image

Adunbí não sabe disso, mas um dia, lá no céu, os jacarés e os tubarões serão bonzinhos, não vão morder nem serem perigosos.

Vamos trazer a nossa ofertinha? Assim um missionário poderá ir até Madagascar para falar sobre Jesus para Adunbí e sua família.

Recolhimento da oferta (Rol do berço) –  Enquanto a oferta será recolhida pelo Rol, as crianças dos PRIMÁRIOS podem cantar a música Syahamba ou tocar algum hino. 

 

453ee520-35b6-479a-91ee-00a3ecbf3fde

Lição infantil: Jardim

As crianças do jardim farão a encenação da história de Lázaro.

Coro final: Todas as classes

Vistam as crianças com roupas que lembrem as africanas e cantem  a música Ninguém é igual a Jesus.

 

Um ótimo 13º para todos!

Beijinhos,

Tati

Ministério da Criança

Inspiração 13º – Divisão Interamericana

Março é mês de 13º, e é o primeiro desse ano. Como já falei que no blog no dia do 13º somos responsáveis por todo o programa da escola sabatina, menos pela lição dos adultos, nesse momento as crianças voltam para a sala para estudar a lição do dia e os adultos continuam na nave da igreja para estudar a deles também.

Claro que, não são todas as igrejas que tem todo esse tempo para apresentar o 13º. Então adapte a sua realidade, reduza ou até mesmo escolha uma das opções dadas aqui.

 

Programa 13º

 

Direção da Escola Sabatina: Juvenis 

Ou seja as crianças anunciarão tudo o que vai acontecer.

Louvor (2 músicas) : Juvenis

Boas vindas: Juvenis

Oração:Juvenis

Carta missionária: (Primários) – Apresentarão a carta missionária 

Nesse momento vestimos as crianças com roupas típicas do país. Geralmente apresentamos bandeiras, hino, curiosidades…. Mas nesse trimestre vamos fazer diferente, vamos encenar uma história da carta, A cura de Uriel, a história do dia 3 de Março.

Recolhimento da oferta (Primários) –  Enquanto a oferta será recolhida pelos Primários, uma criança dos juvenis tocará algum instrumento.

Mensagem Musical: Jardim (Representando a criação)

 

Lição infantil (Rol do Berço):  A classe do rol apresentará a lição da arca de noé.

Uma garotinha bem esperta narrará a história enquanto as crianças vão entrando de Noé, bichinhos, anjo, guarda-chuva, arco-íris … Tudo isso ao som das musiquinhas da lição.

12932783_1035430549859074_6943592943411559148_nFoto de um programa anterior.

Inspiração para quem quiser apresentar a criação. Em 2014 cada sala representou um dia da criação.

1979281_649774251758041_1152476306_o

 Coro final: Todas as Classes

 

 

Bem, essa é a nossa sugestão! Como nesse trimestre o 13º acontecerá no encerramento da Semana Santa, vamos adiar para o dia 07 de abril. Veja essa possibilidade na sua igreja!

18699947_752880298217910_773995696915862394_n

Ahhh já ia esquecendo da lembrancinha. Vamos dar cactos naturais para as crianças, menos para o rol, claro! Eles tem feito o maior sucesso com a criançada.  São aqueles naturais bem pequenininhos (você acha fácil em supermercados grandes), mas pode ser em biscuit, plástico ou do jeito que sua imaginação mandar. Uma outra sugestão e dar tiaras floridas para as meninas, que elas já podem usar no programa.

Beijinhos,

Tati

Ministério da Criança

Inspiração 13º Sábado – Divisão Sul-Asiático

E já estamos aqui mais uma vez falando do Décimo Terceiro, como o ano está passando rápido, né?

Nosso décimo terceiro segue no mesmo formato, nesse dia dirigimos toda a escola sabatina, que acontece na nave da igreja para todos.

11898864_910130389055758_2307516888307303821_n

Esse formato tem dado muito certo, há quatro anos fazemos assim e tudo é feito em parceria com a direção da escola sabatina dos adultos.

A sugestão abaixo é como vamos conduzir o programa, mas você pode e deve adaptar para a sua realidade:

Programa 13º

 

Direção da Escola Sabatina: Juvenis

Louvor (2 músicas) : Juvenis

Boas vindas: Juvenis

Hino inicial: Juvenis

Oração:Juvenis

Carta missionária: (Rol do berço) – Apresentarão a carta missionária do Rol do berço e Jardim.

Uma família da igreja representará a família da carta do rol e as crianças do rol e jardim apresentarão todos os objetos citado e algumas curiosidades sobre a Índia.

Recolhimento da oferta (Jardim) –  Enquanto a oferta será recolhida pelo Jardim, uma criança tocará algum instrumento.

Mensagem Musical: Juvenis

Lição infantil:  A classe dos primários encenará a história de Dorcas e no final cantará a música servir. 

 

No final todas as crianças retornam a igreja com roupas indianas e cantarão juntas.

 

O Décimo terceiro é um momento muito aguardado pelas crianças e pelos pais. Torne esse momento prazeroso para toda a igreja  e com certeza a cada trimestre conquistará mais espaço.

Que Deus abençoe o trabalho de cada um de vocês.

Beijinhos,

Tati

 

Ministério da Criança

Programa 13º Sábado – Divisão Intereuropeia (Com Fotos)

Para facilitar a inspiração de quem quer usar esse programa para o 13º, resolvi postar o programa agora com fotos. Já que o nosso aconteceu no último sábado e ficou uma graça!

13º Divisão Intereuropeia 

 Direção da Escola Sabatina: Primários

Louvor (2 músicas) – (Primários)

p1250434

Boas vindas: (Primários)

Hino inicial: (Primários)

Oração: (Uma criança dos primários)

Carta missionária: (Jardim) – Apresentarão as curiosidades e as necessidades dos países vestidos com roupa típica do lugar.

dscn3691dscn3695_dsc0708

Recolhimento da oferta (Jardim) –  Enquanto a oferta será recolhida pelo jardim, duas crianças tocaram algum instrumento.

dscn3697

dscn3706

Formatura:  Apresentação das crianças e recepção das mesmas pelas novas classes

dscn3708

Lição infantil:  História de Natal na visão dos anjos

Natal na visão dos anjos

 

O Rei da Glória muito Se humilhou ao revestir-Se da humanidade. Rude e ingrato foi o Seu ambiente terrestre. Sua glória foi velada, para que a majestade de Sua aparência exterior não se tornasse objeto de atração. Esquivava-Se a toda exibição exterior. (Narrador 1 –  Entra do fundo da igreja)

Anjos assistiam José e Maria enquanto viajavam de seu lar, em Nazaré, à cidade de Davi. Ela é da linhagem de Davi, e o Filho de Davi deve nascer na sua cidade. De Belém dissera o profeta: “De ti é que Me há de sair Aquele que há de reinar em Israel, e cuja geração é desde o princípio, desde os dias da eternidade”. Miquéias 5:2. (Narrador 2 – fala da frente da igreja enquanto Maria e José entram)

(3 pessoas negam a hospedagem para Maria e José, segurando uma porta)

dscn3718

 Mas na cidade de sua real linhagem, José e Maria não são reconhecidos nem honrados. Fatigados e sem lar, atravessam toda a extensão da estreita rua, da porta da cidade ao extremo oriental desta, buscando em vão um lugar de pousada para a noite. Não há lugar para eles na apinhada hospedaria. (Narrador 3 – fala entrando na igreja)

O narrador 3 para na frente da igreja e fala   – Num rústico rancho em que se abrigam os animais (vacas, ovelhas, galo e galinha, pintinhos…)

(Enquanto isso, alguém toca a música Num berço de palha, até o anuncio de que Jesus nasceu)

(Entram os animais – crianças do rol vestido de bichos)

dscn3744dscn3742

Narrador 3 –  encontram afinal refúgio, e ali nasce o Redentor do mundo.

(Um anjo vem e coloca Jesus no colo de Maria)

p1250544dscn3734

Os homens não o sabem, mas as novas enchem o Céu de regozijo. Com mais profundo e mais terno interesse os santos seres do mundo da luz são atraídos para a Terra. (Narrador 1)

Anjos entram (3 anjos)

dscn3738

 Todo o mundo se ilumina à presença do Redentor. Sobre as colinas de Belém acha-se reunida inumerável multidão de anjos. Esperam o sinal para declarar as alegres novas ao mundo. Houvessem os guias de Israel sido fiéis ao depósito que se lhes confiara, e teriam partilhado da alegria de anunciar o nascimento de Jesus. (Narrador 2)

– Chegou a hora! Jesus nasceu! – exclamou um anjo, transbordando de alegria.

– Mas, vocês viram? Quase ninguém está prestando atenção – acrescentou outro anjo.

– Os sacerdotes no templo continuam a sacrificar cordeiros – disse outro.

 – Acho que eles não sabem o significado disso.

– Gostaria de poder dizer a eles que Jesus nasceu – acrescentou outro anjo.

 – Apenas queria gritar: “Temos boas-novas para vocês! O seu Salvador nasceu!”

 O coral de anjos sabia sobre o que cantaria. Estavam prontos a falar ao mundo sobre Jesus. Estava quase na hora do concerto especial. Seria naquela noite! Naquela mesma noite eles cantariam. E, nos anos futuros, o mundo inteiro se lembraria de seu cântico. Jesus, o Filho de Deus, tinha vindo para este planeta cheio de pecado como um Bebezinho recém-nascido. Eles precisavam falar ao mundo. Anjos estiveram observando as pessoas na Terra. (Narrador 3)

Eles viram os sacerdotes no templo. (Entram 2 dos sacerdotes). Aqueles homens pretendiam conhecer tudo acerca do nascimento do Salvador. Profetas haviam falado sobre esse assunto durante anos. Mas as pessoas que haviam estudado os profetas nem mesmo estavam pensando acerca desse assunto. O grande acontecimento que se daria na Terra já acontecera. Apenas umas poucas pessoas estavam ainda esperando por ele. Não, as pessoas no templo não se lembravam. Ou talvez nem se importavam. (Narrador 1)

Os pastores entram e a narração continua (ao menos 5)

p1250563p1250567

Mas, umas poucas pessoas que moravam perto de Belém estavam vigilantes. Naquela ocasião, alguns pastores reunidos na encosta de uma montanha estudavam as profecias. Eles estavam entre os poucos que sabiam que aquele era o tempo do Salvador chegar.   (Narrador 2)

[Pedir que todos os “anjos” do grupo se juntem e se movimentem em direção aos “pastores” que estão assentados na grama. Desta vez, apenas “Gabriel” se aproxima da grama]

p1250575

Logo, soou a ordem, e os anjos se apressaram a tomar seus lugares. No meio da noite, Gabriel os liderou em direção aos céus de Belém. Eles esperaram enquanto Gabriel conversava com os pastores que estavam cuidando de suas ovelhas. De repente, a glória de Deus iluminou a noite. Os pastores ficaram aterrorizados! (Narrador 3)

dscn3749

Gabriel fala aos pastores. – Não tenham medo! Trago boas-novas. Hoje, nasceu o Salvador de vocês. Vocês O encontrarão em Belém, envolto em panos e deitado em manjedoura.

 [Todos os anjos se reúnem em volta dos pastores.]

De repente, o céu se encheu de anjos resplandecentes. O coro angelical se uniu a Gabriel, enchendo a noite com a mais gloriosa música já ouvida.  (Narrador 1)

dscn3760-mov

 O coral de anjos se forma – Cantaremos a música  Glória in Excelsis 

Logo que a música acaba os pastores se juntam a Jesus.

Alegria, louvor e gratidão ainda transbordam do coração dos anjos. Nosso coração também pode extravasar de alegria ao adorarmos a Jesus. Como os anjos, podemos estar cheios de alegria e boas-novas.  (Criança)

Oração Pastor ou ancião

p1250594

Textos: Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações e Auxiliar Primários 4º trimestre

Coro final (Todos) – Glória in Excelsis

Oração final: Pastor ou ancião

Lição adulto: (Adolescentes) – Eles tem feito um ótimo trabalho.

dscn3765

Parabéns a todos e que venha mais um ano cheio de atividades. Logo logo postarei uma sugestão de planejamento para o ano que vem.

Beijinhos,

Tati