Organização

Vamos Destralhar?

Eita que você já deve está pensando: “Já vem ela querendo que eu desfaça das minhas coisas…. nem vem!!!”  Mas calma, peço um voto de confiança e por favor leia até o final talvez você concorde comigo.

 

Imagem1.jpg

Ufa, que bom que ficou …. então vamos lá! Que não se organiza TRALHA a gente já falou aqui, mas antes de DESTRALHAR é preciso entender o que é tralha.

Existem dois tipos de tralhas, a física e a mental.

A TRALHA FÍSICA  são as coisas acumuladas, desarrumadas, quebradas, inacabadas, em excesso, sem utilidades e tudo aquilo que te rodeia mas que você não ama mais.

TRALHA MENTAL , são aquelas desculpas que inventamos para não resolver coisas que precisam ser resolvidas. E aquilo fica martelando na nossa cabeça e nos acompanham dia e noite. São coisas que precisam ser organizadas e não organizou, que precisam ser estudadas e não estudou, que precisam de uma ligação e não ligou e por aí vai…

Uma está diretamente ligada na outra, quando a mente não vai bem, quando os pensamentos estão desorganizados isso reflete e muito no ambiente em nossa volta. Mas quando o ambiente externo começa a ser colocado em ordem os pensamentos vão ficando mais claros e é mais fácil encontrar a causa da desordem física.

Claro que, não estou falando de tralhas temporárias, que são aquelas que passamos por um curto período de tempo devido a algum “evento importante” que esteja acontecendo na sua vida.  Isso acontece na vida de todo mundo, mas é passageira.

O que pode estar gerando tralha na sua vida:

  • Procrastinação (não fazer as coisas na hora)
  • Ir deixando as coisas ficarem quebradas, descosturadas, descoladas e etc na sua casa
  • Você pode ser um comprador compulsivo
  • Não acreditar que pode ser organizado
  • Estar esperando tudo ficar perfeito para começar

 

Welcome.jpg

 

Lembre-se que quanto mais simples for a vida, mais simples e mais fácil será de administra-la.

Beijinhos,

Tati

 

Organização

Desapegando de Objetos Herdados

 

Quando se trata de desapego, as heranças é um assunto muito delicado. Elas entram em nossas vidas quando um ente querido falecem e pronto, sentimos que aquele objeto é tudo que restou daquela pessoa.

Mas temos que nos lembrar que as coisas não são, nem de longe, as pessoas que tanto amamos. Você não gostaria de ser lembrado por causa de uma almofada ou de uma cadeira, gostaria?

As lembranças mais valiosas, são aquelas guardadas em nosso coração, como os momentos que passamos juntos com aquela pessoa. Guarde fotos (de preferência digitalizadas) e vídeos.

Claro, que não é uma coisa tão simples assim, o melhor a fazer é esperar esse momento de luto passar antes de revirar as coisas para tomar a melhor decisão.

P1280479.JPG

Cuidar bem das coisas que herdou, não significa exatamente ter que ficar com tudo, mas sim achar o melhor uso para elas.

Seja dividindo com os familiares, doando ou emprestando para um museu histórico, doando para quem realmente precisa daquele objeto ou quem sabe até vendendo um item de valor para empregar o dinheiro numa coisa que seja importante para você ou para sua família, como a reforma da casa, um curso ou uma viagem. Tenho certeza que seu ente querido ficaria feliz em saber o que aquele objeto pode fazer por você, muito mais do que saber que ele ficou encaixotado pegando poeira.

 

Você também não precisa se desfazer de tudo, mas fique só com aquilo que realmente vá usar. O restante pode ser reformado e até transformado em um novo objeto. Ou quem sabe digitalizado e guardado em forma de fotos, ficará ali para sempre e você poderá relembrar e mostrar para seus filhos sempre que quiser.

Desapegar é se desprender das coisas e dar mais valor aos momentos e as pessoas! Pense nisso!

Beijinhos,

Tati

 

 

Crianças · Organização · Organização da Casa · organização dos brinquedos

Dicas de como ensinar o desapego para as crianças

Da lista do “DESAPEGO” parece que o item mais complicado é “BRINQUEDOS”. Não sei se mais pelo apego dos pais ou das crianças. Apesar de apostar mais no apego dos pais.
p1200298
Eu mesma, confesso que tinha muita dificuldade nesse momento, principalmente com a primeira filha. Afinal, cada brinquedo tem uma história, um valor e um sentimento. Já melhorei muito quanto a isso, mas me fará um bem danado melhorar ainda mais.
Com 3 filhos e morando num apartamento, se os brinquedos não saírem, vai ter um momento que alguém terá que sair. kkkkk
Mais uma coisa que tenho muito forte em minha mente é o respeito pelas coisas dos outros, mesmo que esse “outro” seja o seu filho ainda criança. Nunca consegui me desfazer de nada sem o conhecimento deles ou até mesmo a permissão. Por que afinal, é com atos que se ensina.
E acredito que esse momento é muito importante e a criança deve sim saber e participar dessa sessão de desapego. Estarão aprendendo que exitem pessoas que precisam do que estamos simplesmente guardando.
img_6412
Para tornar essa tarefa um tanto mais fácil use as seguintes dicas:
– Não pergunte se a criança ainda gosta desse brinquedo e sim se ela ainda brinca. Afinal, se está guardado há tanto tempo, pode fazer a felicidade de outras crianças.
– Pergunte se esse brinquedo é para a faixa etária dela, pode até mostrar na embalagem dos brinquedos. Geralmente elas não vão querer brincar com coisa de “criancinha”. rs
– Sugira a ela doar os brinquedos fora da faixa etária para um amigo mais novo.  
– Conte para a criança que tem muitas outras crianças que não tem brinquedo nenhum e ficaria muito feliz em brincar com esses que ela não brinca mais.
– Mostre que para entrar brinquedos novos os velhos precisam sair. 
Depois me conta o resultado! Bom desapego!
Beijinhos,
Tati