Ministério da Criança

Inspiração 13º sábado – Divisão Sul do Pacífico (3º Trimestre – 2019)

E chegou mais um 13º sábado para as crianças apresentarem na igreja tudo que aprenderam nesse trimestre.

Como de costume, vou apresentar para vocês as sugestões para um programa que contempla toda a escola sabatina. Se você não dispõe de todo esse tempo, adapte a sua realidade usando apenas parte do programa.

Para esse trimestre a minha sugestão é focar na lição, tendo como tema “Servir aqueles que necessitam.”

Esse assunto é o foco da lição dos adultos, jovens e crianças.

Vamos ao programa!

Direção da Escola Sabatina: Primários

Louvor (2 músicas) : Primários 

(Segue sugestão)

Boas vindas: Primários 

Oração: Primários

Curiosidades sobre a divisão: Primários

Criança 1

 

  • Lembre a todos que a oferta missionária é um presente para disseminar a Palavra de Deus ao redor do mundo; e que um quarto dessa oferta ajudará diretamente quatro projetos da Divisão do Sul do Pacífico.

  

Criança 2

 

  • Produção da Série “Daniel para as crianças’, uma animação com 13 episódios, para crianças de 8 a 12 anos seguindo as aventuras de Daniel e seus três amigos. Projeto destinado à Austrália.

 

Criança 3

 

  • Realização da campanha “Salve 10.000 dedos” para prevenir amputações nos pés através de serviços de saúde em I-iji, Vanuatu, Ilhas Salomão , Samoa, Samoa Americana, Kiribati e Tonga.

 

Criança 4

 

  • Construção de estúdios para a Tv e Rádio Hope (Esperança), em Tongatapu, Tonga.

 

Criança 5

 

  • Ouçam e assistam atentamente a encenação da história de Litea de Finji.

Carta Missionária  –  Juvenis

 Uma amiga generosa

 

Personagens:

Pai

Ilisavani

Lítea

Alguns amigos para figurar como outros estudantes da escola

Mãe

Cenário:

Mesa posta na cozinha (Lembrando que não se trata de uma família rica)

Sala de aula com cadeiras, mesa e cadeira do professor, livros, e se possível uma placa.

 (A encenação começa como se a família tomasse café da manhã em uma mesa da cozinha)

O pai tirou várias notas enquanto Litea, uma garota de 15 anos, comia seu desjejum com mingau de aveia e pão. “Aqui está”, ele disse, entregando 80 dólares fijianos aproximadamente 40 dólares). “Isso é para as mensalidades escolares do ano. Certifique-se de pagar seu professor e pedir o recibo.”

 

O novo ano escolar, em Fiji, havia começado recentemente para Litea. O ensino na escola adventista era gratuito como em todas as escolas no Fiji. Mas, os alunos precisavam fazer um pagamento especial para viagens de campo e outras despesas. Litea pegou o dinheiro. “Entregarei o recibo depois da aula”, prometeu.

 

(Ao lado monte uma escola, algumas cadeiras e uma lousa é suficiente. Se puder coloque uma plaquinha “Escola Adventista”)

 

Quando ela chegou à escola, imediatamente se encontrou com o professor para entregar o dinheiro. O professor abriu um livro e,após um momento, disse: “Não; não preciso de dinheiro. Tudo está pago.”

 

Litea ficou surpresa e se sentou. O professor voltou a ler o livro e começou a mencionar os nomes dos alunos devedores. Um desses alunos era uma amiga, Ilisavani. Litea sabia que a família de Ilisavani não tinha muito dinheiro. O pai trabalhava na Austrália, na colheita de laranjas. Mas ele não ganhava muito para enviar para casa em Fiji. A mãe se esforçava para alimentar os quatro filhos.

 

Litea resolveu conversar com Ilisavani.“Tome”, ela disse, “use esse dinheiro para pagar suas despesas.” Porém, Ilisavani protestou: “Não posso aceitar seu dinheiro.” Litea colocou o dinheiro em sua mão. Ilisavani, com lágrimas de gratidão nos olhos, aceitou as notas e entregou ao professor, que preencheu o recibo.

 

(A cena volta para a casa de Litea, mas uma vez na cozinha da casa)

(A mãe pode estar recebendo a filha, ao voltar para casa)

 

O pai, que trabalhava na sede da igreja em Fiji, não estava em casa quando Litea voltou da escola. Ele se esqueceu do dinheiro até o momento da janta familiar.

 

(O pai chega e todos sentam a mesa)

(Os personagens seguem fazendo o que a narração pede)

 

Naquele dia tomaram sopa e comeram taioba. Litea estava desconfortável. “Há um problema”, ela disse, hesitando. “Fui falar com o professor para acertar o pagamento e ele disse que minha mensalidade já estava paga.”

 

Naquele momento, o pai se lembrou de que o escritório descontava o pagamento escolar do seu salário. Ele havia se esquecido disso, mas perguntou: “O que aconteceu com o dinheiro que lhe dei?” Litea contou como entregou o dinheiro para uma amiga carente.

 

O pai e a mãe ficaram chocados. Oitenta dólares era muito dinheiro!

 

Eles exclamaram em uníssono: “O quê?!” A menina se contorceu na cadeira. Ela não queria que os pais ficassem desapontados. Então o pai e a mãe se olharam e sorriram. Eles perceberam que Litea tinha colocado em prática o verso bíblico que aprendeu na Escola Sabatina: “Ame o seu próximo como a si mesmo” (Mt 22:39, NVI). O pai se dirigiu a Litea e disse: “Estamos muito felizes com sua atitude. Muito obrigado por cuidar de sua amiga.” Litea sentiu alívio. “Muito obrigada por entender”, disse ela.

 

(A família se abraça)

(O pai e Litea saem e mãe atende o telefone)

No dia seguinte, a mãe de Ilisavani telefonou para a mãe de Litea, em prantos, enquanto dizia: “Muito agradecida pelo que sua filha fez. Você conhece a situação da nossa família.

Muito obrigada, mesmo! “Agradeça a Jesus”, respondeu a mãe de Litea.

(Mostrar foto no telão) 

Imagem3

Por sua vez, o pai, Savê Cavalevu, é grato aos professores da Escola Sabatina que ensinaram a filha a amar as pessoas. Ele espera que muitas crianças aprendam a mesma lição que as crianças da igreja adventista do sétimo dia de Narere aprenderam. Agradecemos pelas ofertas que ajudaram a construir salas para a Escola Sabatina das crianças em Fiji.

(Se tiver uma foto de toda a sala ou até mesmo de todas as crianças do ministério, ficaria demais) 

Criança 6 fala:

Nós também somos gratos pelos nossos professores da Escola Sabatina e por eles nos ensinarem a cada sábado.

Criança 7 fala:

Nesse momento vamos ofertar com o coração grato para que mais pessoas na Divisão Sul do Pacífico conheçam do amor do nosso grande Deus.

Imagem2

Algum juvenil  pode tocar uma música para oferta. Se nenhum juvnil tocar pode ser outra criança de qualquer sala. E a foto acima  pode ficar no telão enquanto isso) 

 

Recolhimento da oferta e oração das ofertas – Juvenis

Mensagem musical – Jardim (Servir – Diante do Trono)

 

Lição – Rol (A pequena serva) 

Primários –  Agora o Rol do berço partilhará da lição com vocês e precisará da ajuda de todos cantando as músicas enquanto balançam o coração que foi dado)

Se possível fazer um coração em papel e palito de churrasco e da para todos que estão assistindo, inclusive as crianças das outras salas que devem estar assistindo também. 

As músicas sugeridas aqui devem ser cantadas de forma rápida com o pianista tocando e uma solista ajudando a igreja. Se não tiver pianista cantem acapela mesmo. 

 

Personagens

Pequena serva

Esposa de Naamã

Naamã

Soldados

Eliseu

   (As outras crianças da sala se posicionem para ajudar a igreja na hora de balançar os corações e cantar as músicas. A história será toda narrada)

A PEQUENA SERVA

A pequena serva amava a Deus. Ela estava muito longe de sua casa, mas queria mostrar o amor de Deus aos outros.

A pequena serva sabia que Jesus a amava. Por isso, ela cantava feliz enquanto trabalhava para a esposa de Naamã. Ela fazia seu trabalho muito bem.

 Cantar: Gosto de ajudar! (Só a primeira estrofe – varrer a casa)     

                        

 O Capitão Naamã e sua esposa não sabiam que Deus os amava. Quando o sábado chegava, eles não iam à igreja. Eles não oravam a Deus. Então, a pequena serva dizia alguns versos que sabia de cor, cantava e orava sozinha.

 O Capitão Naamã e sua esposa viam a meninazinha dizendo seus versos e orando. Eles ouviam quando a menina falava sobre Deus. A pequena serva estava compartilhando o amor de Jesus com eles ao mostrar-se alegre e trabalhar. Ela também compartilhava o amor de Deus com eles quando falava sobre Jesus, quando dizia seus versos e orava.

 

Cantar “Porque Jesus me Ama” (ver p. 61, CD faixa 56). (Só o primeiro verso)

 

Um dia de manhãzinha, a pequena serva percebeu que a esposa de Naamã estava muito triste. O Capitão Naamã estava doente. Ele tinha manchas brancas de lepra em sua pele. Colocar um círculo branco adesivo no braço de cada criança. A pequena serva olhou para o Capitão Naamã e lembrou-se de Deus. Pensou também em Eliseu, o profeta de Deus. Então, ela disse à esposa de Naamã: “Há um profeta de Deus que mora na minha cidade. O profeta de Deus pode ajudar o Capitão Naamã. Ele pode fazer Naamã sarar. O Capitão Naamã deve ir ver o profeta Eliseu.”

 O Capitão Naamã se despediu da esposa e da pequena serva (acenar adeus com a mão), e foi com alguns dos seus soldados procurar o profeta Eliseu.

Resultado de imagem para carruagem de naama

Imagem: escolinhabiblicadagarotada.blogspot.com

 Quando Naamã e seus soldados chegaram à casa do profeta Eliseu, o servo do profeta disse a Naamã que ele deveria mergulhar sete vezes no rio Jordão.

 Sabem, o rio Jordão era barrento. O Capitão Naamã não queria mergulhar na água barrenta.Mas os soldados fizeram Naamã lembrar que isso era uma coisa muito fácil. Eles insistiram com Naamã para que mergulhasse.

 O Capitão Naamã desceu da sua carruagem. Tirou sua capa e entrou na água barrenta do rio. Vamos ajudar o capitão Naamã contanto até 7.

 

Todos: 1, 2, 3, 4, 5, 6 e 7.

 (Nesse momento tire as manchinhas da criança)

 

De repente, o Capitão olhou para seus braços e quase não podia acreditar que era verdade! Olhou para o corpo inteiro e não encontrou nenhuma mancha de lepra! Sim, Deus havia curado sua lepra.

 Naamã subiu rapidamente em sua carruagem e com seus soldados voltou à casa do profeta Eliseu. Ele queria mostrar para Eliseu que ele havia sarado.

 O Capitão Naamã mostrou ao profeta Eliseu que não havia mais nenhuma mancha de lepra em sua pele. Ele agradeceu ao profeta Eliseu, mas o profeta lhe disse:

– Não agradeça a mim, eu não curei você. Foi Deus quem curou você.

O Capitão Naamã então disse:

– Agora eu sei que o Deus de Israel é o único Deus verdadeiro!

 

Cantar “Meu Deus é Tão Grande” (ver p. 61, CD faixa 50) – (Só a primeira estrofe)

 

Quando o Capitão Naamã voltou para casa, contou à sua esposa e à pequena serva tudo o que havia acontecido. Então, o Capitão Naamã e sua esposa adoraram a Deus com a pequena serva.

Eles sabiam que Deus os amava e podiam compartilhar esse amor com outras pessoas.

 

Narrador fala ou até mesmo uma criança de outra sala pode falar: 

A pequena serva compartilhou o amor de Deus com outras pessoas porque ela amava a Deus.Vocês podem compartilhar servindo aos outros. Ajudando com alegria, sendo obedientes, cantando e orando a Jesus, e falando sobre Jesus aos amiguinhos e a outras pessoas.

 

Cantar “Sirvam uns aos Outros” (ver p. 60, CD faixa 66).

 Coro final: Todas as crianças. 

Playback
  • Sugiro que as crianças estejam todas vestidas com roupa do tempo bíblico.
  • Os maiores como os juvenis podem cuidar da parte do assovio.
  • Duas crianças podem solar e todos juntos fazem o coro na última estrofe.
  • Enquanto as crianças cantam a encenação pode e deve ir acontecendo.

 

Oração final: O pastor ou um ancião da igreja pode orar pelas crianças e suas família e também pela equipe do Ministério da Criança.

Um ótimo programa para vocês! Que Deus os cubra de bençãos!

Beijinhos,

Tati

Ministério da Criança

Inspiração Décimo Terceiro – 2º trimestre 2019 – Divisão Sul-Americana

Chegou mais um décimo terceiro e nesse temos uma paixão a mais pois falaremos sobre o Brasil também.

Resultado de imagem para brasil peru

A sugestão aqui, mais uma vez, é de um programa que contempla todo o espaço da escola sabatina sobrando tempo apenas para os adultos recapitularem a lição  – nesse momento as crianças também recaptulama lição em suas salinhas, onde também recebem a lembrancinha.

Se você não tem todo esse tempo, adapte o programa ou faça apenas alguma parte dele.

Vamos ao PROGRAMA! (No vídeo a gente conversa sobre mais detalhes e sobre o que dar de lembrancinha)

Direção da Escola Sabatina: Juvenis

Louvor (2 músicas) : Juvenis

 

 

Boas vindas: Juvenis em espanhol

Oração: Juvenis

Curiosidades sobre a divisão: Juvenis

Juvenil 1 – Nossas ofertas irão para a DIVISÃO SUL AMERICANA. Mas especificamente para o Brasil e para o Peru.

Entrada da bandeira do Brasil ao som da música Graças ao nosso país. A família de Maju entra junto. 

Vídeo em breve! 

Juvenil 2 – No Brasil os projetos são fundar uma igreja e um centro comunitário de saúde em Aruanã – GO.

Resultado de imagem para aruana goias

Juvenil 3 – Adquirir uma propriedade para construir uma igreja e um centro de influência em Salvador- Bahia.

Carta Missionária  –  Rol do Berço  – (Maju com um baldinho de areia na mão)

(A quantidade de crianças que entrarão com os objetos da carta vão depender do número de crianças que tem na igreja. Adapte para a sua realidade!)

Personagens: Maju, Pai, Mãe e irmão (A mãe não deve estar vestida propriamente de bahiana, pode estar vestida com uma roupa africana e um turbante na cabeça)

Esta é a Maria Júlia. Todo mundo a conhece pelo apelido de Majú. Ela tem  7 anos de idade e mora na Bahia, que fica no nordeste do Brasil. A Bahia é um lugar muito lindo. A cidade que ela mora fica no litoral, onde faz calor e tem praia.O que Majú mais gosta de fazer é construir castelinhos de areia na praia.

(Crianças podem entrar com baldinhos de areia e/ou conchas grandes)

Este é Antonio, o papai de Majú. Majú o chama de painho. Antonio é enfermeiro e trabalha no hospital ajudando as pessoas machucadas. As vezes precisa ele trabalha durante o dia, e as vezes precisa trabalhar durante a noite também. O paínho Antonio sabe capoeira. Capoeira é uma mistura de esporte, luta e dança. Aos sábados Majú  e seu paínho acordam bem cedo e vão se encontrar com o grupo de capoeira.

(Uma criança entra com uma malinha de primeiros socorros)

Este é um berimbau, pra dar o ritmo da capoeira. O berimbau é um instrumento feito com uma vara de madeira comprida. Ele aprendeu a tocar berimbau quando ainda era criança e gostou tanto que nunca mais quis parar. Majú gosta muito, muito mesmo de ir com o paínho nas rodas de capoeira e ouviu o berimbau e ver a dança. Eles não sabem que sábado é o dia de ir na igreja e aprender sobre Jesus.

(Uma criança entra com o berimbau)

Eu sou  Rosalva, a mãe de Majú. Majú me chama de mãínha.

Minha família mora no Brasil agora, mas antes moravam na África. Eu aprendi a a cozinhar com minha avó. Trabanho de  Baiana do Acarajé. Lá eu uso roupas bem  branquinhas e grandes, e me enfeito com colares coloridos e compridos. Sempre com o meu turbante na cabeça.

(Uma criança entra com o tabuleiro)

Tenho uma banca com um tabuleiro cheio de comidas bahianas numa avenida que fica perto da praia. Na Bahia, as comidas são feitas com ingredientes fortes e ardidos. Você gosta de comer coisa ardida? O acarajé é bem ardido.

Este é Juvenal, o irmão mais velho de Majú. Ele tem 13 anos e ama os animais. Um dia, a escola onde Juvenal estuda fez uma visita ao Projeto Tamar. Juvenal viu muitas tartarugas marinhas nadando em tanques, viu estátuas de tartarugas em tamanho real e viu que elas podem ser bem grandes.

(Uma criança entra com uma tartaruga marinha)

Sabe o que mais Juvenal aprendeu? Que a gente não pode jogar nenhum tipo de lixo no mar. Se alguém joga um palito de sorvete ou uma garrafinha de plástico no mar, a tartaruga pensa que é comida, come e morre.

Você também pode ajudar a cuidar das tartarugas se não jogar lixo no mar e em nenhum outro lugar. O lixo precisa ser jogado no lixo.

(Uma criança pode entrar com sacos plásticos, isso que você tiver muitas crianças)

Na volta do passeio, Juvenal conheceu uma plantação de cacau. Cacau é uma fruta muito saborosa e a Bahia planta tanto cacau que até vende para outros países. Com o cacau, dá pra fazer suco batido com água ou com leite e é muito gostoso. Mas com o cacau também dá pra fazer chocolate! Você gosta de chocolate? Hmmmm, que delicia.

(Uma criança entra com o cacau, se for possível um de verdade se não, um de plastico ou uma figura)

Na Bahia existem muitas igrejas. Muitas mesmo. As igrejas são lindas. Coloridas, cheias de enfeites, algumas com desenhos em pedra. Algumas foram construídas há muito tempo. Algumas pessoas  fazem coisas difíceis pra Deus. Andar descalço por muito tempo numa estrada, as vezes subir de joelhos uma escada bem grande.

(Uma criança fala:)

Nossas ofertas vão ajudar lindas famílias como essa a conhecer o  verdadeiro amor de Deus. E saber que Deus não quer esses sacrifícios da gente. 

Curiosidades sobre a divisão: Juvenis

Juvenil 2 – Com uma cultura rica e espetacular, o Peru é um país que se orgulha de sua história, de seus costumes, de suas tradições e de suas civilizações.

Juvenil 2 – Com a mistura de povos, principalmente dos incas e dos espanhóis, a cultura popular peruana é feita de muitos contrastes e diversidade, que pode ser apreciada na arquitetura, música, dança, artesanato, gastronomia, agricultura e principalmente nas enormes e magníficas construções, que hoje fazem parte do Patrimônio da Humanidade.

Juvenil 3 – O artesanato é bem diverso mas sempre com muitas cores. (Se tiver alguma coisa que usou na salinha pode mostrar nesse momento). O animal simbolo de lá é a ilhama. (também pode mostar, como vídeo, figura ou de pelúcia)

Carta Missionária (Informativo das Mundial das Missões para Menores) : Primários

Um adulto pode ler enquanto as crianças encenam, para que fique mais fácil a compreensão. 

Não é necessário investir em cenário para essa encenação, capriche (se possível) nas roupas dos personagens e já terá um grande efeito. As crianças do campo poderiam estar todas de roupa preta ou de outra cor que desejar, para que se destaque os objetos que elas terão nas mãos, ou escondidas atrás de alguma coisa.)

Personagens: Alejandro, 4 crianças menores, Esposa de Alejandro, 4 vizinhos, e as crianças para o campo de cevada.

Imagem1.png

Deus interrompe o incêndio

Para Alejandro, um agricultor peruano e pai de quatro crianças, preparar o almoço requeria um grande esforço. Primeiramente, ele precisava cavar um buraco no chão. Em seguida, colocar madeira, pedras, e acender o fogo. Ele esperava as pedras ficarem vermelhas, então pretas, para colocar algumas batatas. Depois, apagava o fogo colocando terra e pedras frias. As batatas cozeriam na terra quente e, após vinte minutos, estavam prontas para ser consumidas.

(Esse chão pode ser montado com TNT marrom, para parecer terra. As pedras podem ser de verdade ou feitas com papel pedra ou papel kraft) 

Alejandro começou a trabalhar, cavando um buraco em uma pequena clareira no campo de cevada. A plantação estava seca e quase pronta para a colheita. Ele colocou no buraco a madeira e as pedras, e acendeu o fogo. Logo um vento forte começou a soprar. Enquanto o fogo aumentava crescia lentamente no buraco, o vento pegou uma faísca e soprou-a para o campo de cevada. Os caules secos rapidamente se acenderam. Então, as chamas, alimentadas pelo vento, percorreram o campo e entraram no campo de cevada de um vizinho. Vários outros vizinhos também tinham campos próximos.

(Nesse momento  o campo de cevada poderia ser várias crianças sentadas com trigo seco nas mãos como se fosse uma grande plantação. Na hora do incêndio elas abaixam os trigos e levantam o fogo de papel.)

Imagem relacionada

 

Sem ação, Alejandro assistiu com horror. Suas batatas cruas não tinham mais importância. O vento soprou mais forte e ele teve que colocar a mão na cabeça para evitar que o chapéu voasse. O fogo estava fora de controle e ele não conseguia parar. Ele caiu de joelhos e orou: “Deus, o que o Senhor está fazendo agora?”, gritou. “Se todas as culturas queimarem, não tenho dinheiro para reembolsar meus vizinhos. Por favor, realize um milagre e apague o fogo! Amém!” Ele se levantou e olhou para o fogo. Então ele olhou de novo. Ainda estava queimando, mas não estava se movendo. O vento ainda soprava forte, mas as chamas pararam, como se fossem contidas paradas por uma parede invisível.

(Alejandro segue encenando tudo que o narrador fala.)

Alejandro não podia acreditar no que seus olhos viam. “Isso é um milagre!”, exclamou. “Muito obrigado, Senhor”. Ele correu para as casas dos vizinhos a fim de alertar sobre o fogo e procurar ajuda. Não queria que eles saíssem e se os vizinhos vieram correndo para o campo. A essa altura, o fogo estava quase extinto. Não se espalhou mais depois da oração de Alejandro. Ele e os vizinhos jogaram terra nas últimas chamas para apagá-las.

(Ele chama as outras crianças “os vizinhos”.)

Um vizinho ficou furioso e quis agredir Alejandro. Mas outros se opuseram, dizendo: “Isto é um milagre. O fogo teria se espalhado e destruído nossas plantações, se não tivesse parado.” Por fim, Alejandro viu que o incêndio havia danificado sua plantação e a de três vizinhos, destruindo cerca de 300 quilos de cevada. Depois de colher sua cevada, ele reembolsou seus vizinhos pelo que haviam perdido. Todos ficaram satisfeitos.

(Os vizinhos encenam, um querendo bater e os outros o acalmando. Alejandro pega o dinheiro e paga os vizinhos.)

Lembram-se das batatas para o almoço? Alejandro e sua família nunca puderam comê-las, porque foram queimadas pelo fogo. Mas eles não se importaram. Deus parou as chamas milagrosamente e impediu que acontecesse um desastre. “Deus fez parar o fogo; creio no Seu poder”, Alejandro diz. “Pedi um milagre e Deus me respondeu. Ele tem feito muitos milagres em minha vida.”

(Alejandro aparece abraçado com a esposa e seus 4 filhos.)

Outras crianças finalizam dizendo: (O número de crianças depende da quantidade que há em cada igreja –  Adapte conforme a sua realidade)

Criança 1
• À semelhança de muitos aldeões no Peru, Alejandro fala somente a língua quíchua.

Criança 2
• Para entrevistá-lo, o Informativo das Missões precisou de dois intérpretes: um para
interpretar do quíchua para o espanhol e outro para interpretar de espanhol para o
inglês. E, depois, do inglês para o português.

Criança 3
• No vilarejo em que vive Alejandro há 500 habitantes. A igreja tem 300 membros
batizados.

Criança 4
• Alejandro cultiva cevada, batata, milho e feijão em sua fazenda. Também coleta pedras
para construção e constrói casas com tijolo cru, um material de construção feito
de terra e outros materiais orgânicos.

Criança 5

•Um dos maiores milagres na vida de Alejandro é que Deus o ajudou a levar 800 pessoas a Cristo e ao batismo. Mesmo sendo um simples fazendeiro que nunca estudou além do Ensino Fundamental, ele ministra estudos bíblicos e abriu seis igrejas adventistas do sétimo dia nas proximidades de seu vilarejo, Ccacaccollo.

Criança 6

•Parte da oferta do trimestre ajudará a abrir um centro comunitário para crianças e adolescentes em Cusco, que fica cerca de uma hora de ônibus do vilarejo em que mora Alejandro.

Criança 6

•O centro comunitário ensinará inglês e oferecerá outras atividades por meio das quais as pessoas conhecerão Jesus. Muito agradecemos por sua oferta.

Recolhimento das ofertas com as crianças vestidas de forma típica representando o Brasil e o Peru. A minha sugestão é essa música tocada em flauta peruana, mas se tiver alguém que possa tocar, ficaria lindo) 

DSC_0228.JPG

DSC_0245

Oração das ofertas – Primários ou Rol

Lição – Jardim

A minha sugestão é que o jardim encene a história de José durante a música O MENINO SONHADOR. Já que já tivemos muitas narrações. As crianças farão exatamente como vai aparecendo no vídeo. 

Personagens : José, o Pai, os irmãos, comprador, Faraó, servos egípcios .

As outras crianças farão o coro junto com a igreja.

As crianças que estão preparadas para o coro, podem mostrar os trigos e as estrelas grandes de acordo com o que mostra o vídeo)

José entra o pai chega e coloca a capa. Ele se ajoelha e ora.

(Se quiser, de cenário pode ter um poço)

Os irmãos falam com José e os jogam no chão e o vendem.

O comprador sai com José.

Nesse momento entra o cenário com duas pirâmides e um cadeira com tecido dourado para Faraó sentar.

Faraó sentado numa cadeira manda chamar José que vem e revela o sonho. Nessa hora alguns servos entram e trocam a roupa de José.

(Obs: Não passem o vídeo, só toquem a música. Para que a igreja preste atenção nas crianças)

 

Coro final : Todas as crianças

Eu queria muito uma música em espanhol e na dúvida vou deixar 3 sugestões para vocês. Vocês conhecem suas crianças e vão saber qual vai agradar mais. 

Em qualquer uma dessas músicas, você pode ter um ou mais solistas e as crianças fazem apenas o solo. Será mais fácil de ensaiar. 

 

 

Um ótimo programa para vocês! Que Deus os cubra de bençãos!

Beijinhos,

Tati

 

 

Ministério da Criança

História de Elias para encenação do Rol do Berço (Décimo Terceiro) – Ministério da Criança

Para o Décimo Terceiro desse trimestre o Rol do berço A e B, encenarão a história de Elias. E claro que não poderia deixar de dividir com vocês nossas ideias.

Para ver o programa completo Clique Aqui!

******************

Certa vez, muito tempo atrás, onde Elias morava, as pessoas pararam de orar a Deus. Lá existia um rei mau que disse às pessoas que elas deveriam orar aos ídolos em vez de orar a Deus.

Entra o rei, a rainha e o servo

2a2f92bf-0d8b-4966-bb27-a39ee53ab286 (2)

Madeira e pedra não podem ouvir orações como Deus pode ouvir. Ídolos não podem cuidar de nós como Deus pode cuidar. Deus nos ouve quando oramos. Ele é muito poderoso, amável e bondoso para conosco.

Deus precisava de Elias para fazer um trabalho especial para Ele. Deus pediu que Elias levasse uma mensagem ao rei Acabe. Elias não perguntou por que deveria ir. Ele fez justamente o que Deus lhe pediu, porque era um ajudante de Deus. Ele desejava fazer o que Deus lhe pedia que fizesse.

Entra Elias e vai falar com o Rei

Deus pediu que Elias dissesse ao rei que não choveria até que o povo voltasse a orar somente a Ele. E foi isso que aconteceu. Durante muitos e muitos dias não choveu. E isso aconteceu porque Deus é o único que pode enviar a chuva.

Entram crianças com sombrinha com gotas de chuva (3 crianças)

Cantar “Linda Chuva” (ver p. 57, CD faixa 61)

IMG_8303.JPG

 Fico muito contente ao pensar que é Deus quem envia a chuva. Mas por que precisamos de chuva? Para que as plantas cresçam e dê flores e frutos. Sem a chuva, as plantas ficariam secas e morreriam. E foi isso o que aconteceu com as plantas, as flores e as árvores quando Deus não enviou chuva. Mas, ainda assim, as pessoas não voltaram a orar a Deus

Já que não chovia, o rei mau estava muito zangado com Elias. Deus disse que Elias devia morar durante algum tempo junto a um ribeiro. Elias dormia ao ar livre. Ele podia ver as estrelas e a Lua que Deus havia feito, e se lembrava de que Deus o amava. Deus enviou alimento e água Deus providenciou para que houvesse um pouco de água no ribeiro para Elias beber. E Ele fez algo muito especial para alimentar Elias. Enviou aves para alimentar Elias!

Essas aves eram grandes pássaros chamados corvos. Cada manhã e cada tarde, essas aves traziam alimento para Elias.

Entram as aves (1 ou 2 crianças vestidas de corvo)

A imagem pode conter: 3 pessoas, pessoas sentadas e sapatos

Deus cuidou de Elias quando ele não tinha alimento nem água. Deus lhe deu tudo de que precisava.

Quando ficou sem chover durante muito tempo e o ribeiro secou, Deus disse o que Elias devia fazer. Ele o enviou a uma cidade onde moravam uma mamãe e seu filho.

Entra a mãe e o filho (Cenário de uma cidade)

Deus pediu que a mulher desse a Elias um pouco de água para beber e um pouco de pão para comer. A mamãe disse para Elias que eles não tinham alimento de sobra. Mas Elias disse que Deus lhes daria o suficiente para comerem. Ela confiou em Deus e deu a Elias seu último pedaço de pão.

Daquele dia em diante, sempre havia um pouco mais de farinha e um pouco mais de azeite para fazer mais pão. Deus cuidou deles.

Elias amava e obedecia a Deus. Deus cuidou de Elias quando ele não tinha mais alimento nem água. Deus lhe deu o que ele precisava. Deus também dará para vocês tudo de que precisarem.

Com a história de Elias aprendemos não precisamos nos preocupar com nada, pois Deus está conosco em todos os momentos, cuidando de nós e nos amando.

 “O Meu Deus Dará” (ver p. 58CD faixa 80).

Criança faz oração agradecendo a Deus

***********************************

 

Coloque música de fundo e adapte de acordo com sua realidade, com o número maior ou menor de crianças. Não se importe com a simplicidade das crianças do Rol é assim que Deus quer que nós sejamos!

Um grande beijo,

Tati

Ministério da Criança

Programa 13º Sábado – Divisão Intereuropeia (Com Fotos)

Para facilitar a inspiração de quem quer usar esse programa para o 13º, resolvi postar o programa agora com fotos. Já que o nosso aconteceu no último sábado e ficou uma graça!

13º Divisão Intereuropeia 

 Direção da Escola Sabatina: Primários

Louvor (2 músicas) – (Primários)

p1250434

Boas vindas: (Primários)

Hino inicial: (Primários)

Oração: (Uma criança dos primários)

Carta missionária: (Jardim) – Apresentarão as curiosidades e as necessidades dos países vestidos com roupa típica do lugar.

dscn3691dscn3695_dsc0708

Recolhimento da oferta (Jardim) –  Enquanto a oferta será recolhida pelo jardim, duas crianças tocaram algum instrumento.

dscn3697

dscn3706

Formatura:  Apresentação das crianças e recepção das mesmas pelas novas classes

dscn3708

Lição infantil:  História de Natal na visão dos anjos

Natal na visão dos anjos

 

O Rei da Glória muito Se humilhou ao revestir-Se da humanidade. Rude e ingrato foi o Seu ambiente terrestre. Sua glória foi velada, para que a majestade de Sua aparência exterior não se tornasse objeto de atração. Esquivava-Se a toda exibição exterior. (Narrador 1 –  Entra do fundo da igreja)

Anjos assistiam José e Maria enquanto viajavam de seu lar, em Nazaré, à cidade de Davi. Ela é da linhagem de Davi, e o Filho de Davi deve nascer na sua cidade. De Belém dissera o profeta: “De ti é que Me há de sair Aquele que há de reinar em Israel, e cuja geração é desde o princípio, desde os dias da eternidade”. Miquéias 5:2. (Narrador 2 – fala da frente da igreja enquanto Maria e José entram)

(3 pessoas negam a hospedagem para Maria e José, segurando uma porta)

dscn3718

 Mas na cidade de sua real linhagem, José e Maria não são reconhecidos nem honrados. Fatigados e sem lar, atravessam toda a extensão da estreita rua, da porta da cidade ao extremo oriental desta, buscando em vão um lugar de pousada para a noite. Não há lugar para eles na apinhada hospedaria. (Narrador 3 – fala entrando na igreja)

O narrador 3 para na frente da igreja e fala   – Num rústico rancho em que se abrigam os animais (vacas, ovelhas, galo e galinha, pintinhos…)

(Enquanto isso, alguém toca a música Num berço de palha, até o anuncio de que Jesus nasceu)

(Entram os animais – crianças do rol vestido de bichos)

dscn3744dscn3742

Narrador 3 –  encontram afinal refúgio, e ali nasce o Redentor do mundo.

(Um anjo vem e coloca Jesus no colo de Maria)

p1250544dscn3734

Os homens não o sabem, mas as novas enchem o Céu de regozijo. Com mais profundo e mais terno interesse os santos seres do mundo da luz são atraídos para a Terra. (Narrador 1)

Anjos entram (3 anjos)

dscn3738

 Todo o mundo se ilumina à presença do Redentor. Sobre as colinas de Belém acha-se reunida inumerável multidão de anjos. Esperam o sinal para declarar as alegres novas ao mundo. Houvessem os guias de Israel sido fiéis ao depósito que se lhes confiara, e teriam partilhado da alegria de anunciar o nascimento de Jesus. (Narrador 2)

– Chegou a hora! Jesus nasceu! – exclamou um anjo, transbordando de alegria.

– Mas, vocês viram? Quase ninguém está prestando atenção – acrescentou outro anjo.

– Os sacerdotes no templo continuam a sacrificar cordeiros – disse outro.

 – Acho que eles não sabem o significado disso.

– Gostaria de poder dizer a eles que Jesus nasceu – acrescentou outro anjo.

 – Apenas queria gritar: “Temos boas-novas para vocês! O seu Salvador nasceu!”

 O coral de anjos sabia sobre o que cantaria. Estavam prontos a falar ao mundo sobre Jesus. Estava quase na hora do concerto especial. Seria naquela noite! Naquela mesma noite eles cantariam. E, nos anos futuros, o mundo inteiro se lembraria de seu cântico. Jesus, o Filho de Deus, tinha vindo para este planeta cheio de pecado como um Bebezinho recém-nascido. Eles precisavam falar ao mundo. Anjos estiveram observando as pessoas na Terra. (Narrador 3)

Eles viram os sacerdotes no templo. (Entram 2 dos sacerdotes). Aqueles homens pretendiam conhecer tudo acerca do nascimento do Salvador. Profetas haviam falado sobre esse assunto durante anos. Mas as pessoas que haviam estudado os profetas nem mesmo estavam pensando acerca desse assunto. O grande acontecimento que se daria na Terra já acontecera. Apenas umas poucas pessoas estavam ainda esperando por ele. Não, as pessoas no templo não se lembravam. Ou talvez nem se importavam. (Narrador 1)

Os pastores entram e a narração continua (ao menos 5)

p1250563p1250567

Mas, umas poucas pessoas que moravam perto de Belém estavam vigilantes. Naquela ocasião, alguns pastores reunidos na encosta de uma montanha estudavam as profecias. Eles estavam entre os poucos que sabiam que aquele era o tempo do Salvador chegar.   (Narrador 2)

[Pedir que todos os “anjos” do grupo se juntem e se movimentem em direção aos “pastores” que estão assentados na grama. Desta vez, apenas “Gabriel” se aproxima da grama]

p1250575

Logo, soou a ordem, e os anjos se apressaram a tomar seus lugares. No meio da noite, Gabriel os liderou em direção aos céus de Belém. Eles esperaram enquanto Gabriel conversava com os pastores que estavam cuidando de suas ovelhas. De repente, a glória de Deus iluminou a noite. Os pastores ficaram aterrorizados! (Narrador 3)

dscn3749

Gabriel fala aos pastores. – Não tenham medo! Trago boas-novas. Hoje, nasceu o Salvador de vocês. Vocês O encontrarão em Belém, envolto em panos e deitado em manjedoura.

 [Todos os anjos se reúnem em volta dos pastores.]

De repente, o céu se encheu de anjos resplandecentes. O coro angelical se uniu a Gabriel, enchendo a noite com a mais gloriosa música já ouvida.  (Narrador 1)

dscn3760-mov

 O coral de anjos se forma – Cantaremos a música  Glória in Excelsis 

Logo que a música acaba os pastores se juntam a Jesus.

Alegria, louvor e gratidão ainda transbordam do coração dos anjos. Nosso coração também pode extravasar de alegria ao adorarmos a Jesus. Como os anjos, podemos estar cheios de alegria e boas-novas.  (Criança)

Oração Pastor ou ancião

p1250594

Textos: Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações e Auxiliar Primários 4º trimestre

Coro final (Todos) – Glória in Excelsis

Oração final: Pastor ou ancião

Lição adulto: (Adolescentes) – Eles tem feito um ótimo trabalho.

dscn3765

Parabéns a todos e que venha mais um ano cheio de atividades. Logo logo postarei uma sugestão de planejamento para o ano que vem.

Beijinhos,

Tati